Programa estadual vai levar estudantes para fora do país

Estado planeja oferecer bolsas de estudo em mais de 13 países conveniados, de EUA à Europa

Superintendente da Juventude da Secretaria de Estado de Governo (Segov), Leonardo Felipe
Superintendente da Juventude da Secretaria de Estado de Governo (Segov), Leonardo Felipe

A Superintendência da Juventude foi um dos poucos órgãos que sobreviveram aos drásticos cortes de secretariado feitos pelo governador Marconi Perilo em 2015. Para muitos, esse foi um indicativo da eficácia e da relevância desse trabalho realizado com os jovens goianos. Partilhando dessa opinião, o superintendente da Juventude da Secretaria de Estado de Governo (Segov), Leonardo Felipe, afirma que há mais projetos importantes por vir.

Uma dessas iniciativas é o Goiás Sem Fronteiras, programa que visa enviar jovens estudantes goianos para se qualificarem em universidades do exterior, aos moldes da versão nacional, que é o Ciência Sem Fronteiras. A diferença é que o estadual tem foco primeiramente nos estudantes do ensino médio, e não universitários. Dessa maneira, os intercambistas fazem qualificação técnica ao invés de graduação.

Como funciona

O programa consiste numa bolsa de intercâmbio com duração de 30 dias em um dos 13 países conveniados com o Governo de Goiás. Entre os possíveis destinos, estão Estados Unidos, Nova Zelândia, Austrália, Suíça, França, Espanha, Holanda e Alemanha. Além disso, só aparecem como opções as universidades que estiverem ranqueadas entre as 100 melhores do mundo.

Para se candidatar, o aluno precisa estar devidamente matriculado no ensino médio e comprovar conhecimento intermediário no idioma oficial do lugar de destino. Há ainda o plano de implementar centros de línguas para que estudantes de todos os extratos sociais possam se preparar em condição de igualdade.

Henrique Tibúrcio, secretário de Governo
Henrique Tibúrcio, secretário de Governo

“É um programa muito interessante de extensão para todos os tipos de pessoas. Desde o servidor público que quer o aprimoramento do ponto de vista cultural e profissional, até estudantes da rede pública que possam fazer a inscrição e sejam selecionados para participar”, explicou o secretário de Estado de Governo, Henrique Tibúrcio.

Jardim América

De acordo com o Índice de Vulnerabilidade Juvenil, estudo divulgado em 2013 pela Superintendência sobre a condição de vida dos jovens na região metropolitana de Goiânia e nos 246 municípios goianos, o Jardim América apresenta um dos melhores números gerais, juntamente com toda a região Sul da capital.

“Os setores Bueno e Jardim América também tiveram a maior quantidade de adesão ao Passe Livre Estudantil e participação atuante na Escola de Líderes”, destaca o superintendente Leonardo Felipe, que acredita na importância desses números para a análise e planejamento de ações eficazes.

Comentários do Facebook