Qual a justificativa para um governo com sérios problemas financeiros gastar meio milhão de reais num filme?

Politicagem Guilherme

Produtora paulista de audiovisual (Foto: Divulgação)
Produtora paulista de audiovisual (Foto: Divulgação)

O ofício do governador Marconi Perillo solicitando autorização da Assembleia Legislativa para contratar empresa paulista é de 1º de abril, conhecido como Dia da Mentira. A peça sobre “o povo, a cultura e os cenários de Goiás” leva o inusitado nome de “A Magia do Mundo Quebrado”.

O trabalho vai custar R$ 500 mil e será executado pela Film Noise Produções Cinematográficas Ltda, especializada em filmes e videoclipes, um deles o premiado “Mulher de Fases” da banda Os Raimundos (1999).

Incoerências

Para o jornalista Rodrigo Czepak, conforme publicado em sua coluna online no Folha Z, agora restam algumas perguntas:

– Qual a justificativa para um governo com sérios problemas financeiros gastar meio milhão de reais num filme?
– Não há empresa qualificada no mercado goiano para executar o serviço, evitando gastos elevados com transporte e hospedagem?
– O título “A Magia do Mundo Quebrado” não remete a dois pontos polêmicos da atual administração: magia/propaganda enganosa e quebrado/realidade financeira?

Questão de prioridade

Segundo Czepak, é público e notório que Marconi não mede esforços e recursos para qualificar as peças publicitárias do seu governo, porém o momento requer mais pé no chão. O atraso no repasse dos salários para o Tribunal de Justiça e Ministério Público acendeu a luz amarela no funcionalismo público em geral.

Há um forte temor de ampliação da crise financeira e por isso os gastos notadamente supérfluos poderiam ser adiados.

Comentários do Facebook