No Terminal Bandeiras, motorista abandona passageiros para bater papo

O Terminal Bandeiras é um dos maiores terminais da capital. Milhares de pessoas passam por ali todos os dias, com horários e rotinas que não podem ser mudadas / Foto - Reprodução
O Terminal Bandeiras é um dos maiores terminais da capital. Milhares de pessoas passam por ali todos os dias, com horários e rotinas que não podem ser mudadas / Foto – Reprodução

Passageiros do Terminal Bandeiras se revoltaram na noite da última quinta-feira, 17, com o descaso de um motorista da Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC).

Testemunhas afirmam que, por volta das 20h30, houve atraso proposital de 15 minutos na linha 574, Terminal Bandeiras, com destino a Forteville. A causa do problema foi o motorista, que resolveu parar de trabalhar por iniciativa própria para conversar com colegas, interferindo na rotina de centenas de trabalhadores e estudantes presentes.

Ao ser solicitado pelos passageiros para que voltasse a dirigir o veiculo, o motorista ignorou todos que ali esperavam e continuou ocioso. Com o tumulto, guardas e policiais compareceram, mas o motorista não retornou à sua função. Após 40 minutos de espera e tumultos, outro motorista foi apontado para conduzir o ônibus 20151 da linha 574.

Nota da RMTC

O RedeMob Consórcio esclarece que o tumulto que houve na quinta-feira (16) à noite no Terminal Bandeiras não foi ocasionado por atraso do motorista da linha 574 (T. Bandeiras / Forteville). O ônibus estava saindo no horário programado, mas alguns clientes exaltados tentaram agredir o motorista, policiais de duas viaturas que estavam fazendo ronda no local conseguiram acalmar os ânimos e outro veículo fez a viagem. O RedeMob Consórcio repudia todo e qualquer ato de violência e reitera seu compromisso de proporcionar aos clientes um transporte público coletivo sustentável e de qualidade.

LEIA MAIS – Passagem de ônibus em Goiânia a R$ 4. Aumento estaria acertado nos bastidores

LEIA MAIS – A completa falta de respeito no transporte coletivo de Goiânia

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter

Comentários do Facebook