Paralisia de Bell
Voluntários dos testes apresentaram doença rara que afeta nervos | Foto: Reprodução

Relatórios da agência de controle de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos (FDA, sigla em inglês) mostram que 4 voluntários da 3ª e última fase de testes da vacina da Pfizer adquiriram uma doença rara, denominada paralisia de Bell.

Cada voluntário apresentou reação com 3, 9, 37 e 48 dias após a vacinação.

Apesar dos resultados, a agência estadunidense aprovou o medicamento, recomendando “vigilância para casos de paralisia de Bell com a implantação da vacina em populações maiores”.

Paralisia de um lado do rosto
A paralisia do rosto é confundida com AVC | Foto: Reprodução

Já o governo norte-americano sinaliza que recomendará que pessoas com histórico de reações alérgicas graves não tomem a vacina.

Paralisia de Bell

A doença provoca fraqueza e se caracteriza por paralisia de um lado do rosto. Por esse motivo, é confundida com um princípio de Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Atriz Angelina Jolie
Angelina Jolie foi diagnosticada com a doença em 2017 | Foto: Getty Images

A Paralisia de Bell ficou em evidência após o diagnóstico da atriz Angelina Jolie, em 2017.

Porém, os registros da paralisia são raros e a medicina não sabe ainda quais são as causas.

Fiocruz planeja vacina para 130 milhões de brasileiros em 2021


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook