O vice-presidente de produção e inovação em saúde da Fiocruz, Marco Krieger, afirmou nesta 2ª feira (23) que a fundação tem previsão de vacinar 65 milhões de pessoas no 1º semestre de 2021 e outras 65 milhões no 2º.

A imunização em questão seria a de maior eficácia divulgada pela Universidade de Oxford, a AstraZeneca/Oxford, que mostrou eficácia de até 90% conforme a dosagem.

Os resultados preliminares foram divulgados também na 2ª feira.

Contudo, os dados ainda não foram revisados por outros cientistas e nem publicados em revista científica.

Para a produção das vacinas, a Fiocruz possui um acordo de transferência de tecnologia com a AstraZeneca, farmacêutica que desenvolve o produto em parceria com a instituição inglesa.

Alta eficácia

Segundo os testes, a eficácia de 90% se deu quando a vacina é aplicada em meia dose e uma dose completa 1 mês depois.

Na prática, a 1ª administração da dose menor faz com que mais pessoas possam ser vacinadas num intervalo menor.

A expectativa da Fiocruz ainda é começar a vacinar os brasileiros em março de 2021.

A fundação também espera iniciar a produção já em janeiro ou em fevereiro do ano que vem.

LEIA MAIS ➡️ Primeiras doses de vacina chinesa contra a covid-19 chegam ao Brasil


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook