Deputada estadual Adriana  Accorsi (PT) e suas filhas foram alvos de ameaças de morte por meio das redes sociais
Deputada estadual Adriana  Accorsi (PT) e suas filhas foram alvos de ameaças de morte por meio das redes sociais | Foto: Reprodução

A Polícia Civil identificou o responsável por ameaças de morte à deputada estadual Adriana  Accorsi e suas filhas por meio das redes sociais há cerca de 1 semana.

De acordo com a Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC), o homem de 27 anos de idade é natural e morador de uma pequena cidade do Acre e foi de lá que enviou as ameaças.

Em mensagens, ele questionou se a deputada, que foi candidata a prefeita de Goiânia pelo PT, já havia comprado “caixões” para as filhas.

Autor de ameaças de morte a Adriana Accorsi é localizado no Acre | Foto: Reprodução
Autor de ameaças de morte a Adriana Accorsi é localizado no Acre | Foto: Reprodução

Com apoio da Polícia Civil do Acre, o investigado foi ouvido na delegacia de Sena Madureira, a 150 km de Rio Branco.

Na oportunidade, ele confessou a autoria do envio das mensagens e afirmou que nunca teria imaginado que pudesse ser identificado.

Em depoimento, ele relatou que achou o perfil da deputada aleatoriamente na internet e que “não concordou” porque constatou que ela “era delegada e era de esquerda”.

Afirmou ainda que proferiu as ameaças “no calor da emoção”, pois participa de discussões políticas no Youtube, onde os participantes se xingam mutuamente.

Manifestações de ódio

Em nota, a Polícia Civil afirmou ter verificado que, “não obstante a aparente simplicidade e falta de instrução”, o autor das ameaças é envolvido em várias manifestações de ódio pela internet, em especial aquelas ligadas a opiniões políticas.

O homem agora responderá pelo crime ameaça, que tem pena prevista de detenção, de 1 a 6 meses, ou multa.

PTB garante que chapa foi regular e que Leo José deve ser diplomado


Acompanhe tudo que acontece em Goiânia seguindo a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook