Segundo estudo científico, financiado pelo Governo Federal e publicado na revista European Respiratory Journal, o uso do vermífugo nitazoxanida reduz em até 55% a carga viral do novo coronavírus em pacientes infectados.

Os testes foram feitos em 1.575 voluntários, em 7 cidades do Brasil.

No entanto, somente 475 contraíram a covid-19, fazendo com que os outros 1.100 fossem excluídos do estudo.

Os resultados ainda tiraram mais voluntários, tendo ao final 392 pacientes.

Resultados e conclusão

Desse total, 194 ingeriram a nitazoxanida, de nome comercial Annita.

Nesses pacientes, concluiu-se que o medicamento reduziu a carga viral em 55% após 5 dias.

Já em relação aos outros 198 voluntários que tomaram o placebo, verificou-se que houve uma redução de 45%, no mesmo período analisado.

Para que se chegasse a esse resultado, os pacientes tomaram a dosagem de 500mg, de 8 em 8 horas, durante 5 dias, o que é capaz de reduzir a carga viral em pessoas com até 3 dias de confirmação da doença no organismo.

Com base nesses números, os pesquisadores chegaram à conclusão de que não há evidências que o medicamento seja eficaz para pessoas com casos leves de covid-19.

O artigo

O artigo científico foi enviado à revista em outubro deste ano. No dia 4 de dezembro ele foi aceito e publicado no último dia 24.

O estudo foi assinado por 29 pesquisadores, coordenados pela professora Patrícia Rocco, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

LEIA MAIS ➡️ Vacinação: desobediência pode ser punida até com prisão


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook