O presidente estadual do MDB, Daniel Vilela, admitiu em entrevista ao O Popular que há uma racha no partido após rompimento de alguns membros com a atual gestão da Prefeitura de Goiânia.

No início da semana, 14 cargos de primeiro escalão do Executivo Municipal foram colocados à disposição pela sigla.

Racha

Apesar disso, o ex-deputado federal revelou que as saídas não contaram com a aprovação de boa parte dos emedebistas da capital, incluído vereadores e deputados.

“Não foi uma decisão partidária, foi uma decisão dos secretários”, explicou Daniel.

Os vereadores do MDB seguem na base da gestão de Rogério Cruz.

O deputado estadual e vice-presidente do MDB em Goiás, Paulo Cezar Martins, não concordou com a decisão de Vilela.

“O rompimento, insisto, é um equívoco. A maioria do MDB, daqueles que têm voto, não concorda com o rompimento. Eu e muitos somos pela pacificação”, criticou.

LEIA MAIS ➡️ Rogério vai retirar foto de Maguito após pedido de Flávia Teles


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook