MPF acusa Infraero de superfaturar obras do aeroporto

Procuradoria da República em Goiás pede reparo à Infraero pelos danos causados ao erário
Procuradoria da República em Goiás pede reparo à Infraero e construtoras por danos causados aos cofres públicos

Os goianienses vivem com a promessa de um novo aeroporto há muitos anos. As obras, que agora pareciam engatadas, sofrem novos percalços. A última, é que Ministério Público Federal (MPF) encontrou, pelo menos, 6 irregularidades na construção do novo Santa Genoveva. O órgão pede ressarcimento de R$122 milhões por dano causado ao erário, multa sobre o valor do prejuízo, perda de bens ou valores adquiridos ilegalmente e proibição às empreiteiras de contratar com o poder público.

A ação civil pública e a de improbidade administrativa foram ajuizadas contra o presidente da Infraero, Antônio Gustavo Matos do Vale, e as construtoras Odebrecht e Via Engenharia S/A. O MPF garante que o novo problema não irá prejudicar o andamento das obras, pois compreende que a sociedade quem arcaria com tais prejuízos. No entanto, na ação, a Procuradoria da República em Goiás pede que a Infraero seja proibida de ordenar novos serviços ou autorizar pagamentos às empreiteiras que ultrapassem o valor de R$ 179.633.045,09.

 

Comentários do Facebook