Grupo de empresários entrega ofício pedindo fim das restrições para supermercados em Aparecida | Foto: Divulgação/Secom
Grupo de empresários entrega ofício pedindo fim das restrições para supermercados em Aparecida | Foto: Divulgação/Secom

Acompanhado de um grupo de empresários do setor de supermercados e atacadistas, o deputado federal Glaustin da Fokus (PSC) participou de sessão realizada na Câmara de Aparecida na manhã desta 3ª feira (30) e defendeu o fim das restrições para o segmento.

No atual sistema de isolamento social intermitente aplicado na cidade, todas as macrozonas da cidade devem fechar em 4 dias da semana, nos quais nem mesmo mercados podem abrir.

Insatisfeitos com essa medida, os empresários entregaram um documento ao presidente da Câmara, André Fortaleza (MDB), solicitando a exclusão da categoria do escalonamento.

A proposta, além de ressaltar o caráter essencial do setor e as medidas sanitárias implementadas, argumentou que o fechamento desses estabelecimentos tem aumentado as aglomerações ao concentrar o fluxo nos dias abertos.

Deputado Glaustin da Fokus em sessão da Câmara de Aparecida | Foto: Reprodução
Deputado Glaustin da Fokus em sessão da Câmara de Aparecida | Foto: Reprodução

O deputado Glaustin, por sua vez, anda defendeu que Aparecida troque o escalonamento pelo modelo de 14×14, decretado pelo governador Ronaldo Caiado (DEM).

“Quando os supermercados de uma região estão fechados, a população vai a outro, até mesmo em casos que a diferença é de apenas uma rua, o que causa aglomeração. Por isso, estamos aqui para solicitar que seja analisado com bom senso a abertura diária dos supermercados, ficando fora do escalonamento do município devido à sua essencialidade”, afirmou.

Após ouvir as falas dos empresários e vereadores, André Fortaleza garantiu que levará a proposta à próxima reunião do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 de Aparecida de Goiânia.

Em decreto, governo determina lotação de 50% em ônibus


Acompanhe tudo que acontece em Aparecida de Goiânia seguindo a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook