Com chapas questionadas na Justiça, um grupo com cerca de 10 vereadores eleitos em Goiânia se reuniu para discutir ações coordenadas nesta 4ª feira (25).

Eles são filiados a partidos que viraram alvos de ações judiciais e questionamentos demandando a anulação dos votos por suposto desrespeito às cotas de gênero entre as candidaturas.

Uma das ações sugeridas por um dos candidatos foi a divulgação de uma nota pública repudiando a judicialização do pleito.

A ideia, porém, foi rejeitada, visto que as situações de cada partido são diferentes entre si.

Em deliberação, o grupo decidiu por questionar também irregularidades nas siglas que ajuizaram as primeiras ações.

Bruno Pena
Advogado Bruno Pena | Foto: Reprodução

Advogado

À reportagem, o advogado Bruno Pena, responsável pela defesa do Avante, afirmou que está tranquilo do ponto de vista jurídico.

“Vamos demonstrar no processo que a própria resolução do TSE determina que o cálculo seja feito sobre as candidatura efetivamente requeridas”, afirmou.

Nova reviravolta: Perde efeito liminar que anulava votos de vereador eleito em Goiânia


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook