Aparecidense crise financeira
Aparecidense vive uma crise financeira no início da temporada | Foto: Reprodução

Com uma campanha turbulenta no Goianão 2020, a Aparecidense vive também uma crise financeira neste começo de temporada.

Segundo fontes de dentro do clube revelaram à reportagem, o salário referente aos 15 primeiros dias de janeiro foi pago com recursos próprios do presidente do Camaleão, Elvis Mendes.

Desde então, a remuneração de todo elenco estaria atrasada.

Ainda conforme apurado pela Folha Z, somente o salário de 15 a 31 de dezembro de 2019 foi pago pelo clube.

“Bicho” atrasado

Outra reclamação por parte dos jogadores é de que a premiação por ponto conquistado também estaria atrasada.

O combinado seria de R$ 300 para cada atleta por todo ponto ganho no campeonato.

Reabilitação

Após o início ruim, a Aparecidense se reabilitou na competição com 2 vitórias seguidas: 3 a 1 sobre o Goiânia e 3 a 0 sobre o Crac, ambas como visitante.

vitória Aparecidense CRAC Ipameri
Aparecidense venceu o Crac por 3 a 0, em Ipameri | Foto: Reprodução

De acordo com os jogadores, a premiação por esses 2 últimos triunfos, além de 1 ponto conquistado ainda na 4ª rodada, não foi paga (um total de R$ 2.100).

Parceria frustrada

No último dia 28 de fevereiro, uma reunião entre a Prefeitura de Aparecida e a Aparecidense regularizaria a parceria entre as partes.

A reportagem entrou em contato com o diretor de futebol do clube, João Rodrigues, o “Cocá”, para falar sobre o assunto.

João Rodrigues Cocá Aparecidense
Diretor de futebol da Aparecidense, João Rodrigues, o Cocá | Foto: Folha Z

Ele afirmou que as reuniões estão acontecendo, mas não soube afirmar se o acordo foi regularizado.

Já em relação ao atraso nos salários, Cocá negou a informação.

Aparecidense recebe milhões e não dá lazer ao torcedor


Acompanhe tudo que acontece em Aparecida de Goiânia seguindo a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook