Ex-auxiliar de Jucá nas Finanças de Paulo Garcia

Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Stênio Nascimento da Silva foi auxiliar de Jucá no Congresso Nacional (Foto: Guilherme Coelho/Folha Z)
Stênio Nascimento da Silva foi auxiliar de Jucá no Congresso Nacional (Foto: Guilherme Coelho/Folha Z)

Ex-auxiliar de Jucá nas Finanças de Paulo Garcia

A inauguração do “Atende Fácil” na manhã de hoje, uma loja nos moldes do “Vapt-Vupt” localizada no Paço Municipal, transcorreu em clima de despedida para o secretário de Finanças, Jeovalter Correia. Ele irá assumir nos próximos dias a presidência da entidade que representa os servidores do Distrito Federal. Em seu lugar nas Finanças deverá assumir Stênio Nascimento da Silva, atual chefe de gabinete do órgão e que também já atuou como braço direito do senador Romero Jucá no Congresso Nacional e na Secretaria de Saúde do Governo de Roraima.

Correia de pressão e resultados

Com sua pouca habilidade política, Jeovalter Correia colecionou muitos desafetos no comando da Secretaria de Finanças, principalmente vereadores que alegavam desprestígio no atendimento. Por outro lado o secretário conseguiu a proeza de, com indiscutível esforço e forte pressão nos demais colegas, alcançar estabilidade nos cofres municipais. Seu maior mérito foi ter evitado atraso na quitação da folha de pessoal, tormento dos atuais governantes. Em que pese a cara de poucos amigos de alguns parlamentares, Jeovalter cumpriu sua missão.

LEIA MAIS: Prefeitura inaugura Vapt Vupt municipal: o Atende Fácil

Brasil Totalmente Demais

O assunto até poderia ser o inesperado e estrondoso sucesso da novela das 19 horas da Rede Globo, cujo último capítulo vai ao ar nesta segunda-feira, mas os sucessivos escândalos em Brasília não permitem. No folhetim da vida real, o país assistiu uma presidente cair por excesso de amadorismo e prepotência. E agora acompanha o seu substituto tropeçar nas próprias pernas por excesso de pragmatismo e benevolência.

Presidente afastada Dilma Rousseff e presidente interino Michel Temer Foto: Reprodução)
Presidente afastada Dilma Rousseff e presidente interino Michel Temer (Foto: Reprodução)

Semelhantes na fraqueza

Antes mesmo dos intermináveis casos de corrupção que sufocaram Dilma Rousseff (PT) e atormentam Michel Temer (PMDB), os companheiros de chapa em 2010 e 2014 se assemelham na claudicância, ou seja, quase zero de convicção nas medidas administrativas anunciadas. Há uma longa distância entre o discurso proferido nos momentos solenes e a realidade do dia-a-dia. Solução ignorada por Dilma e tábua de salvação de Temer, o ministro da Fazenda Henrique Meirelles é a única garantia de sobrevida do atual governo até 2018.

Barbas de molho

Nem o Atlético pode se entusiasmar com as quatro vitórias obtidas na Série B, muito menos Goiás e Vila Nova entrarem em desespero com as campanhas pífias alcançadas até o momento. A décima rodada costuma ser o termômetro ideal para avaliar o desempenho de cada clube. Em competições de longa duração, são muito comuns as arrancadas e os apagões em períodos de três a cinco jogos. Atitude é a palavra-chave e pode transformar Enderson Moreira, técnico do Goiás, na primeira vítima caso o time volte a jogar abaixo da expectativa amanhã contra o Ceará.

Comentários do Facebook