Michel Temer finge crer na “influência” de Marconi sobre parlamentares goianos

Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Marconi Perillo e Michel Temer
Presidente interino Michel Temer e Governador de Goiás Marconi Perillo (Foto: Reproduação)

Buraco sem fim

É indiscutível a preocupação com o rombo de R$ 170,5 bilhões nas contas públicas do país. O presidente interino Michel Temer e o ministro da Fazenda Henrique Meirelles sabem que administrar “esse buraco” é o caminho para o sucesso ou o fracasso do governo provisório. Mas na cabeça do cidadão comum o exemplo poderia começar com medidas que inibissem os gastos mensais com os presidentes afastados Eduardo Cunha (R$ 500 mil) e Dilma Rousseff (cerca de R$ 700 mil). Só a petista tem à sua disposição 36 assessores. Absurdo em dose dupla.

LEIA MAIS: Twitter altera histórico limite de 140 caracteres. Rápido e rasteiro por Rodrigo Czepak

Eu (quase) acredito

Louvável o esforço do governador Marconi Perillo ao promover um grande périplo por sete ministérios, culminando em audiência com o presidente interino Michel Temer. Massageou o próprio ego quando destacou a força da bancada federal de Goiás no apoio às medidas que estão sendo tomadas pelo novo governo. Fora a ação midiática, o efeito prático é zero. Até mesmo os tucanos votam de acordo com interesses individuais e partidários. Calejado, Temer fingiu crer na “influência” de Marconi sobre os parlamentares goianos.

Marconi Perillo e Michel Temer
Acompanhado de 12 deputadores federais e dois senadores goianos, o governador Marconi Perillo se reuniu com o presidente interino Michel Temer (Foto: Reprodução)

Segurando o riso

Marconi Perillo, aliás, perde qualquer credibilidade quando anuncia que um dos “temas debatidos” com Michel Temer foi a folclórica necessidade de se construir o trem-bala entre Brasília e Goiânia. Um assunto tão ridículo e fora de propósito, diante dos graves problemas nacionais, que provocaram calafrios em parlamentares e assessores que acompanhavam o governador.

Estava indo tão bem          

Atual comentarista do canal pago Sportv, o ex-jogador e ex-técnico Paulinho Criciúma deu uma aula aos dirigentes do Goiás durante a transmissão da derrota do time para o Criciúma por 3 a 1. Disse, entre outras palavras, que é uma vergonha para a equipe esmeraldina a ausência de padrão de jogo, da quantidade expressiva de passes errados e do principal goleador – Rafael Lucas – estar no banco de reservas. Tentou amenizar as críticas ao justificar que o técnico Enderson Moreira tem competência para reverter o quadro. Resumindo: o problema é o treinador, mas um dia ele acerta.

Comentários do Facebook