Alessandro Magalhães | Foto: Divulgação/Prefeitura de Aparecida
Alessandro Magalhães | Foto: Divulgação/Prefeitura de Aparecida

Baseada em estatísticas colhidas ao longo da pandemia, a Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia já tem dados suficientes para prever que um 3º pico atingirá a cidade em meados de julho.

De acordo com o secretário Alessandro Magalhães, os números apontam para uma tendência de piora na crise de saúde 3 meses após algum aumento ocorrer no Sudeste do país.

Autoridades de Saúde também apontam para as consequência de feriados nos quais tradicionalmente há encontros de familiares, como o Dia das Mães, ocorrido em maio, e Corpus Chisti, que será celebrado ainda nesta semana.

Embora haja preocupação, Alessandro destaca que o avanço da vacinação terá efeito positivo na redução do contágio e do número de internações.

As informações foram repassadas pelo secretário em entrevista à rádio Sagres.

Balanço

Segundo o último levantamento da SMS, até 6ª feira (28), o município já havia administrado 130.788 doses, sendo 90.287 como Dose 1 e 40.501 como Dose 2.

Cepa indiana é confirmada no Brasil e traz risco de 3ª onda


Quer receber notícias dos bastidores da política de Aparecida? NOSSO NÚMERO MUDOU!

Você está convidado a fazer parte de um grupo altamente bem informado sobre os rumos da cidade!

Basta clicar aqui para ter as matérias especiais da Folha Z direto do seu celular!

Comentários do Facebook