Multa de R$ 312,63 será aplicada a bares sem câmeras em Aparecida

Instalação de circuito interno e externo de câmeras agora é obrigatória. Confira prazo para início da fiscalização em bares, distribuidoras de bebidas, supermercados, postos de combustíveis, boates e "similares" na cidade

Bares e distribuidoras sem câmeras serão multados em Aparecida | Foto: Rodrigo Estrela
Bares e distribuidoras sem câmeras serão multados em Aparecida | Foto: Rodrigo Estrela

O prefeito de Aparecida de Goiânia Gustavo Mendanha sancionou na manhã desta segunda-feira, 1º, lei que determina a instalação de câmeras em bares e estabelecimentos que comercializem bebidas alcoólicas na cidade.

A partir da nova lei, o funcionamento de bares, distribuidoras de bebidas, supermercados, postos de combustíveis, boates e “similares” está condicionado à instalação de circuito de câmeras de monitoramento.

O próximo passo será realizado pelo Ministério Público de Goiás e as forças de Segurança Pública, que notificarão comerciantes sobre a regulamentação.

Adequações

De acordo com dados da Secretaria da Fazenda, o município de Aparecida de Goiânia conta, atualmente, com 1.074 estabelecimentos especializados em servir bebidas; 1.870 comércios varejistas de bebidas e 35 atacadistas; 162 discotecas e casas de eventos e 139 postos de combustíveis.

Todos esses estabelecimentos terão 30 dias para se adequarem.

Após esse prazo, será inciada a fiscalização em todo o município, com penas de advertência e outras sanções.

Além disso, o sistema de monitoramento deverá estar em pleno funcionamento para obtenção ou renovação de alvará.

Prefeito de Aparecida de Goiânia Gustavo Mendanha sancionou nova lei na manhã desta segunda-feira, 1º | Foto: Rodrigo Estrela
Prefeito de Aparecida de Goiânia Gustavo Mendanha sancionou nova lei na manhã desta segunda-feira, 1º | Foto: Rodrigo Estrela

Multa

Segundo a nova legislação, a não instalação de circuito interno e externo de câmeras de monitoramento acarretará as seguintes penalidades:

  1. Advertência;
  2. Multa de 100 (cem) UFVA;
  3. Suspensão por 30 dias;
  4. Cassação do alvará.

Como a Unidade de Valor Fiscal do Município (UFVA) foi fixada em aproximadamente R$ 3,1263 em 2019, a multa chega a R$ 312,63.

Justificativa

Para Gustavo Mendanha, a legislação visa promover maior segurança para todos.

“Aparecida tem sido pioneira em várias leis que tem ajudado no combate à criminalidade e teremos tolerância zero contra os criminosos.

O promotor de Justiça Milton Marcolino, que foi quem acionou a administração municipal para a criação da Lei, disse que a determinação visa reduzir o registro de crimes na cidade.

“A determinação que visa também reduzir o número de homicídios e demais crimes, já que 30% desses atos são cometidos nesses ou próximos aos estabelecimentos”, argumentou.

Decreto

A proposta foi originada por um acordo com o MPGO.

Assinaram o decreto:

  • o promotor de Justiça, Milton Marcolino, da Promotoria do Júri de Aparecida de Goiânia;
  • os secretários Olavo Noleto (Casa Civil), Cleomar Rocha (Ciência, Tecnologia e Inovação), Luziano da Costa Vale (Mobilidade e Defesa Social);
  • a titular da Delegacia Regional de Aparecida, delegada Cybelle Tristão;
  • o comandante do 2º Comando Regional da Polícia Militar (CRPM), tenente-coronel Giuliano Eustáquio Borges;
  • e o comandante do 7º Batalhão do Corpo de Bombeiros, major Marcos Vinícius.

Confira AGORA telefones das viaturas da PM em Aparecida


Quer receber notícias da política de Aparecida?

Você está convidado a fazer parte de um grupo altamente bem informado sobre os rumos da cidade.

É só seguir o Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook