Gim rima com fim. Prenúncio do que está por vir

Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

O ex-senador Gim Argello era muito elogiado pela base do governador Marconi Perillo como “o quarto senador por Goiás” em função do grande interesse na solução de pendências relacionadas ao Estado / Foto: Senado Federal
O ex-senador Gim Argello era muito elogiado pela base do governador Marconi Perillo como “o quarto senador por Goiás” em função do grande interesse na solução de pendências relacionadas ao Estado / Foto: Senado Federal

Por motivos óbvios, a mídia nacional se apressou em divulgar que a delação premiada do ex-senador Gim Argello, homologada hoje pela Justiça Federal do Paraná, vai dar muita dor de cabeça a Renan Calheiros, Edison Lobão e Fernando Collor. Políticos candangos e goianos, entretanto, já estão tomando calmantes com receio da exposição pública de intervenções praticadas por Gim nas esferas jurídica e administrativa da capital federal.

Senador por Goiás

Elogiado pela base do governador Marconi Perillo como “o quarto senador por Goiás” em função do grande interesse na solução de pendências relacionadas ao Estado, Argello mantinha nos bastidores o apelido de “pau pra toda obra”. Era um dos poucos senadores com quem a ex-presidente Dilma Rousseff mantinha bom relacionamento, condição oportunamente aproveitada por Perillo. As missões repassadas à Gim Argello nunca ficavam sem resposta e, invariavelmente, eram resolvidas com rapidez.

Preso numa cela da PF em Curitiba desde abril, Argello mudou do estágio “água com açúcar” nos primeiros dias para “uísque sem gelo” recentemente. Assim como ocorreu com outro ex-senador, Delcídio do Amaral, a delação premiada de Gim pode colocar fim ao último resquício de tranquilidade que ainda impera em gabinetes oficiais de Goiás e de Brasília. Se abrir a boca pra valer, a delação de Argello pode ser considerada nitroglicerina pura. A
conferir.

LEIA MAIS: Bizarro! Caixão cai de carro funerário na Marginal Cascavel em Goiânia

O republicano é político, age como político, mas aposta todas as fichas no chavão: “Eu sou e faço tudo diferente daquilo que vocês estão acostumados” / Foto: Carlitos Folha Z
O republicano é político, age como político, mas aposta todas as fichas no chavão: “Eu sou e faço tudo diferente daquilo que vocês estão acostumados” / Foto: Carlitos Folha Z

Aposta do Delegado Waldir é surpreender

Favorito para ocupar a cadeira de prefeito de Goiânia com quase 40% da intenção de votos, segundo a mais recente rodada da pesquisa Serpes, o Delegado Waldir não perde o hábito de agir por impulso. Acompanhado do vereador Felisberto Tavares e mais dois assessores, o pré-candidato do PR fez uma visita surpresa ontem ao Paço Municipal. O prefeito Paulo Garcia não se encontrava no local.

“Vim conhecer o funcionamento da máquina pública de perto”, avisou o deputado federal, provocando as mais diversas reações entre os servidores. Alguns enxergaram arrogância no gesto, outros consideraram desinformação e até mesmo ingenuidade de um político que pretende comandar os destinos de Goiânia. Mesmo desconfiada, porém, a grande maioria dos funcionários públicos aplaudiu a visita relâmpago do Delegado Waldir, justamente por fugir dos padrões oficiais, ou seja, sem comunicação antecipada.

O republicano é político, age como político, mas aposta todas as fichas no chavão: “Eu sou e faço tudo diferente daquilo que vocês estão acostumados”. Por enquanto a fórmula vem dando certo. Resta saber se a incessante busca pela diferenciação pública não levará o Delegado Waldir ao posto de Político Caricato do Ano, transformando o seu favoritismo eleitoral num retumbante fracasso. Fenômenos midiáticos ou das redes sociais, como é o caso do pré-candidato, inflam e murcham com a mesma rapidez.

LEIA MAIS: Vilanovense sai do coma e não acredita no que lê

Comentários do Facebook