Grupo que cobrava por cargos falsos no governo estadual é preso em Goiânia

Eles chegavam a cobrar R$ 20 mil por vaga. Vítimas sequestraram líder do esquema para obrigá-lo a devolver o dinheiro

Prisões realizadas
Suspeitos foram presos e podem pegar até 8 ano de prisão | Foto: Divulgação PC

Quatro pessoas foram presas no âmbito da “Operação Influência Fake”, deflagrada nessa 4ª feira (16), em Goiânia.

Segundo a Polícia Civil (PC), o grupo chegou a vender cargos falsos no governo de Goiás para 10 pessoas.

Dentre os detidos, está um cirurgião dentista.

De acordo com as informações, os encontros para a “compra” dos cargos fictícios aconteciam na clínica dele.

O profissional era apresentado às vítimas como sendo a pessoa influente para obter o emprego. Além disso, era ele quem dava credibilidade ao golpe.

Golpe da venda de cargo
Operação investiga golpe de venda de cargos falsos no governo | Foto: Divulgação PC

Entenda

As vítimas eram atraídas por promessas de trabalhar no governo estadual. Porém, tinham que pagar R$ 20 mil ao grupo.

Os investigadores calculam que ao todo a quadrilha conseguiu R$ 200 mil com o golpe.

Agora serão indiciados pelos crimes de estelionato e associação criminosa. As penas podem somar até 8 anos de prisão.

Organização criminosa
Vítima tinham que pagar R$ 20 mil para ter emprego no Estado | Foto: Divulgação PC

Sequestro

A descoberta do esquema só foi possível porque em 18 de julho do ano passado, 3 das vítimas teriam sequestrado o cirurgião dentista e exigia a devolução do dinheiro.

Na ocasião, essas pessoas foram identificadas e presas pelo crime de extorsão.

Walisson Miranda é promovido a cabo 1 ano após sua morte


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook