Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Dilma é flagrada em passeio de bicicleta em Brasília (Foto: Reprodução)
Dilma é flagrada em passeio de bicicleta em Brasília (Foto: Reprodução)

Malhação política

Com exceção das imagens de Lula malhando em academia e Dilma pedalando nas cercanias do Palácio da Alvorada, o noticiário anda pobre de políticos desfilando seus dotes físicos. Também pudera: os marqueteiros costumam poupar prováveis candidatos em anos pré-eleitorais. O “bombardeio” geralmente acontece dois a três meses antes das convenções partidárias. Exemplo mais recente em Goiás envolveu o maratonista Iris Rezende, 81 anos, e o ciclista Marconi Perillo, 52 anos, adversários na eleição do ano passado.

Geração saúde

Como idade e condição física têm peso significativo na cabeça da população, preparem-se para a corrida eleitoral de 2016 em Goiânia. Os pré-candidatos Iris Rezende (PMDB), Jayme Rincón (PSDB), Vanderlan Cardoso (PSB) e Delegado Waldir, se deixar o ninho tucano, vão se desdobrar na modalidade disposição e entusiasmo para administrar a capital dos goianos. Nessa hora não vão faltar imagens em academias, atividades físicas em parques e caminhadas a passos largos com correligionários. Tudo para impressionar o eleitor.

Mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus da dengue ao ser humano (Foto: Ilustração)
Mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus da dengue ao ser humano (Foto: Ilustração)

Mosquito imbatível

Quem não conhece a expressão “é o sujo falando do mal lavado”. Eis o retrato fiel do combate à dengue em Goiânia. O mesmo poder público que reclama da ausência de compromisso do cidadão em medidas preventivas para evitar a proliferação do mosquito é aquele que não faz o dever de casa e trabalha com número reduzido de agentes. Segundo o jornal O Popular, 40% a menos do que o Ministério da Saúde considera necessário. É por essas e outras que o Aedes Aegypti continua vencendo de goleada a disputa com a Prefeitura de Goiânia, bem ao estilo 7 a 1 pra Alemanha.

Queda do muro

Ex-presidentes e ex-diretores da Assembleia Legislativa fizeram de tudo um pouco para evitar que os dados referentes aos servidores, fantasmas ou não, se tornassem públicos. Quase uma década depois, Ministério Público e jornal O Popular estão desvendando praticamente todos os mistérios que transformaram a manutenção daquela casa de leis na terceira mais cara do país.

Assembleia Legislativa de Goiás (Foto: Carlos Costa/Alego)
Assembleia Legislativa de Goiás (Foto: Carlos Costa/Alego)

Piada sem graça

Em muitas rodadas de vinho, assessores parlamentares e de comunicação já se vangloriaram da caixa preta da Assembleia ser intransponível e zombaram de profissionais de imprensa que tentavam, em vão por diversas vezes, obter informações de funcionários. O alvo preferencial eram jornalistas do Grupo Jaime Câmara, em especial a repórter da editoria de política Fabiana Pulcineli. As gargalhadas de ontem se transformaram em agonia. Quem ri por último ri melhor.

Ejaculação precoce      

Aécio Neves anuncia roteiro de viagens pelo país a partir de quinta-feira, começando por Manaus. José Serra e Geraldo Alckmin se revezam no debate dos grandes temas do Congresso Nacional. Eduardo Cunha diz que casamento PT-PMDB não irá adiante. Lula assume figurino de salvador da Pátria petista. 2018 é logo ali.

Magia nas pernas

Sempre existirá Neymardependência, Messidependência e CristianoRonaldodependência. A diferença para a época da Pelédependência é o nível dos coadjuvantes. Fica difícil imaginar outra seleção mundial com auxiliares tão qualificados como Tostão, Rivelino, Carlos Alberto, Jairzinho, Gérson e Clodoaldo, apenas para citar os principais.

Comentários do Facebook