Marido de Bianca Toledo grava vídeo se defendendo de acusações

O pastor evangélico Felipe Heiderich foi às redes sociais, a exemplo da ex-mulher, pastora e ex-cantora gospel Bianca Toledo, para se defender das acusações de que teria abusado sexualmente do enteado de 5 anos. Ele está em liberdade depois que a Justiça revogou sua prisão

Veja o vídeo ao lado.

“Quero dizer que eu precisava me recuperar um poupo. Sempre achei que todo mundo era inocente até que se provasse o contrário, mas o que vivi nesses últimos dias e semanas é que todos são culpados até que se prove o contrário. Assim como vocês fiquei em choque com tudo o que foi dito a meu respeito e todas as acusações”, disse no vídeo em que aparece com o cabelo raspado e com a voz embargada.

LEIA MAIS: Senador Magno Malta diz que pastor abusava do filho de Bianca Toledo e pede prisão perpétua

“Até dia 12, eu estava em família, feliz, ministrando na igreja com a criança que mais amei nessa vida, que ajudei a criar com minha esposa. E no dia 14 sou comunicado por ela que ela havia descoberto que sou homossexual e pedófilo. Ela pegou, saiu de casa com meu filho e ali começaram os piores dias da minha vida”, disse o marido de Bianca Toledo.

Pastor foi acusado de violentar seu enteado de cinco anos (Foto: Reprodução)
Pastor foi acusado de violentar seu enteado de cinco anos (Foto: Reprodução)

Choque

Ele seguiu dizendo que não saberia lidar com o choque de saber que a criança que ama estava sendo abusada. “Isso pra mim já seria o suficiente pra… não sei como reagir. Essa pessoa ser você, eu chorei muito nesse dia, eu li a bíblia. Eu peguei dois vidros de rivotril, um estava completamente vazio e outro pela metade, virei esse que estava pela metade e deixei o outro.”

Felipe contou também o que disse para a esposa: “Você não vai me dar opção da dúvida, ouvir que isso pode ser a maior das mentiras, um plano de satanás? Vamos orar! Falei: ‘Deus, talvez esse possa ser o tempo necessário para ela ver que isso é uma grande confusão. Só que os funcionários de casa chegaram, me viram sonolento, eles viram os frascos do remédio, eles entenderam que eu tinha tentado suicídio, me levaram para a UPA na Barra da Tijuca”.

LEIA MAIS: Pastora Bianca Toledo diz que marido, preso por estupro, é gay e pedófilo

Perdão

“Mas ainda é um momento que eu preciso ser forte para perdoar, porque eu não posso encontrar com o Deus do amor e do perdão se eu não perdoo. Eu não posso pregar o amor e o perdão se eu não consigo perdoar. É um momento de ser forte para ficar de pé e provar a minha inocência que já está praticamente estabelecida”, afirmou.

José

“E eu fui preso. E meu rosto rodou o mundo como pedófilo. Fui acusado, julgado, sentenciado. Gritavam meu nome na rua: morre! Sofri as penalidades na prisão. Mas como o Senhor foi com José, quando ele também foi preso, José do Egito, por tentativa de estupro – porque essa foi a acusação que o colocou na cadeia, a esposa de Potifar disse que ele tentou estuprá-la – o senhor deu graça a José na prisão, ele deu a mim também. E no meu último dia na prisão, todos os dias foram feitos cultos lá, e no último dia eu fui aplaudido pelos presidiários e pelos policiais”, disse Heiderich.

Comentários do Facebook