Gustavo Mendanha e Vilmar Mariano | Foto: Divulgação
Gustavo Mendanha e Vilmar Mariano | Foto: Divulgação

“Até agora minha ficha não caiu”, disse à Folha Z o presidente da Câmara Municipal de Aparecida, Vilmar Mariano (MDB), sobre sua indicação para ser candidato a vice-prefeito da cidade.

Ele foi apontado para integrar a chapa de reeleição do prefeito Gustavo Mendanha (MDB) após uma reviravolta surpreende nas articulações.

A 1ª surpresa foi a decisão do MDB de substituir Veter Martins (PSD) por Romeu Ivo na vice da chapa majoritária.

Já o 2º fato inesperado foi a “renúncia” de Romeu ao cargo.

Na sequência, Vilmar foi confirmado para figurar ao lado de Mendanha nas urnas em novembro.

Entenda os bastidores que levaram até esse desfecho.

A carta de renúncia

Pastor Romeu Ivo | Foto: Reprodução
Pastor Romeu Ivo | Foto: Reprodução

Na 6ª feira (18) passada, Pastor Romeu divulgou uma carta aberta na qual anunciava sua renúncia “irrevogável” ao cargo de vice-prefeito, por “motivos pessoais”.

Um dia antes da carta ser divulgada, porém, a cúpula emedebista já sabia da decisão do pastor e iniciou rapidamente o processo de escolha do seu substituto.

O objetivo principal era encontrar um nome que agradasse a base, sobretudo o setor católico, que havia ficado “melindrado” pela remoção de Veter e pela indicação de um pastor de fortes ligações com os líderes evangélicos do Estado para o seu lugar.

Por outro lado, também era necessário evitar um verdadeiro “racha” dentro do MDB aparecidense.

Interlocutores comentam que havia um temor muito acentuado entre os mendanhistas de que a candidatura de Veter atraísse figuras importantes da base aliada para a oposição.

Vilmarzim era a principal preocupação, por ser aliado e amigo próximo de Veter Martins.

A sua indicação para vice, dessa maneira, foi um consenso.

Com ela, o MDB conseguiria manter suas bases unidas e retomar a confiança do grupo católico, ao mesmo tempo garantindo o apoio evangélico por meio da aliança com o deputado federal João Campos (Republicanos).

Por fim, seu papel de proximidade com o Legislativo agradou os vereadores, que deliberaram pelo apoio à sua indicação.

Desfecho

Professor Alcides, Pastor Romeu, Gustavo Mendanha, Vilmar Mariano, João Campos | Foto: Divulgação
Professor Alcides, Pastor Romeu, Gustavo Mendanha, Vilmar Mariano, João Campos | Foto: Divulgação

Comunicado da renúncia de Romeu e da sua indicação, Vilmar Mariano decidiu ir nas primeiras horas da 6ª feira (18) à casa do deputado federal Professor Alcides (PP).

Na comitiva, o acompanharam os vereadores André Fortaleza (MDB) e Erivelton Contador (PP), além do suplente e pré-candidato Daniel Rodrigues (PV).

Após a conversa com Alcides, Vilmarzim dirigiu-se até a casa do Pastor Romeu, com quem também chegou a um entendimento sobre toda a articulação.

Por fim, reuniu os vereadores e apresentou seu nome oficialmente como pré-candidato.

Como a articulação já estava pavimentada, a reunião serviu como uma aclamação da indicação, que foi tornada pública por Gustavo Mendanha durante live na noite daquele mesmo dia.

LEIA MAIS 👉 Os verdadeiros motivos da renúncia de Pastor Romeu


Quer receber notícias dos bastidores da política de Aparecida? NOSSO NÚMERO MUDOU!

Você está convidado a fazer parte de um grupo altamente bem informado sobre os rumos da cidade!

Basta clicar aqui para ter as matérias especiais da Folha Z direto do seu celular!

Comentários do Facebook